mercadoTag

Arte, mercado e especulação

Ronaldo Entler | 29.out.2012

Diante da dificuldade de justificar o valor que algumas obras contemporâneas alcançam em leilões internacionais, parece evidente a existência de uma bolha especulativa. Antes de seguir, vale pensar um pouco o sentido do que chamamos de especulação. Há mais de um século, a economia não trata necessariamente da circulação de bens, mas de representações que podem ser lastreadas por uma riqueza potencial, aquela que se espera gerar a partir de uma capacidade produtiva demonstrada. No capitalismo tardio (ou pós-moderno, ou pós-industrial, ou seja lá o nome que se queira dar)Leia Mais

Saudades da Kodak

Ronaldo Entler | 5.mar.2012

Nossa formação de esquerda ensina que as crises são inerentes ao capitalismo e não permite lamentar quando uma grande corporação vai à bancarrota. Ainda assim, vez ou outra, percebemos que seus extintos produtos ganham contornos afetivos em nossa memória. Nessas horas, o conceito comercial de “marca” assume um sentido menos abstrato, quase sob a forma de uma cicatriz. Foi mais ou menos o que senti quando reencontrei uma caixinha de TRI-X perdida na geladeira, algumas semanas depois de ler as notícias sobre a falência da Kodak. Na década de 90, fuiLeia Mais
Três eventos recentes e importantes – o SP-Arte/Foto, o Paraty em Foco e o VídeoBrasil – me fizeram pensar sobre a presença tensa do fotógrafo em alguns ambientes dedicados às artes. Em agosto, quando o Videobrasil divulgava sua lista de artistas selecionados, encontrei com Solange Farkas, curadora do evento, que me perguntou: cadê o pessoal da fotografia? Certamente, o vídeo se expandiu na última década tanto quanto a fotografia ou qualquer outra linguagem artística. Mas, acima de tudo, o evento viveu uma grande abertura. Basta relembrar que, em 2009, tivemos emLeia Mais