Cartografias da cidade

Apresentação

O que a fotografia vê na cidade que não vemos? O que permite mostrar e esconder? Desde dos seus primeiros anos, a fotografia parece ter se apoderado dos olhos dos andarilhos, do corpo que se embrenhava pela cidade, percorria as ruelas, naquele teatro em que o ingresso seria o tempo perdido do viajante. A fotografia, então, impulsionava a velocidade na mesma medida que, por vezes, exigia sua interrupção – a pausa para o click; o espírito tenso para a captura. Nasceu assim uma espécie de afinidade: “a cidade tornou-se o fotografável por excelência”. Afinidade que ainda hoje se mantém: nos fazendo adentrar lugares diversos, pausando o fluxo para cartografias do urbano, compartilhando casas, fachadas, muros, pichações, a tinta fresca das paredes, o descascar dos viadutos. A partir dessas narrativas sobre a cidade é possível criar e conhecer outras etnografias da urbe.

Artigos do Icônica

Com os artigos propostos a seguir, podemos pensar como a fotografia participa dos modos de construção das narrativas da cidade em diferentes tempos e espaços. Como ela pode ser uma ferramenta de reconstruir o olhar que lançamos aos espaços que ocupamos coletivamente.

Para pensar com os artistas

Arnaldo Pappalardo (Brasil)
Fusca, 2015

Vemos a cidade de forma muito fragmentária. Normalmente, não encontramos nem o tempo e nem a distância para compor um “horizonte” que permita ligar os elementos de sua paisagem. Neste trabalho, Arnaldo Pappalardo mostra a cidade emoldurada por um dispositivo que está profundamente identificado com ela: o carro. O artista percorre as ruas de São Paulo com seu velho Fusca, com a nostalgia de um tempo em que o olhar ainda não havia perdido a paisagem de vista.

Fabrício Arriaga (Brasil)
Azimute, 2011

A metrópole está dedicada à contemplação. Mas a velocidade que ela impõe e o excesso de estímulos que ela oferece acaba por anestesiar o olhar. Raramente, ao percorrer nossa própria cidade, erguemos o olhar para ver a paisagem urbana. Neste trabalho, Fabrício Arriaga investiga tanto os pontos de vista quanto os desenhos inusitados que a cidade oferece.
Saiba mais: http://www.iconica.com.br/site/paragem/fabricio-arriaga-azimute/