A retórica de um fotógrafo, as retóricas da imagem

[10.maio.2010]

Meu primeiro álbum de fotografia foi feito por um fotógrafo itinerante de uma tal Cia. Fotográfica Euclydes, de Lins, interior de São Paulo. Não havia câmera em casa, mas a fotografia já tinha seu papel na construção da imagem de uma família e de uma infância feliz.

Os tempos eram outros, uma periferia de São Paulo quase interioriorana, a casa simples da minha avó, ingredientes de uma inocência que não existe mais. Tocavam a campainha e simplesmente abria-se a porta. Podia ser pesquisador, vendedor, evangélico, e logo a pessoa estava no sofá de casa.

primeiro_album_01Certo dia, era um fotógrafo que batia à porta. Perguntava se havia na casa alguém que pudesse servir de modelo para uma exposição num tal Salão Fotográfico da Criança. Minha avó, que cuidava de mim e de minha irmã enquanto minha mãe trabalhava, disse que dispunha ali dos dois exemplares mais lindos da espécie.  Eu tinha uns três anos e minha irmã, uns cinco.

Deve ter sido emocionante. Foto era algo que se fazia só nas férias e nos aniversários, quando algum amigo da família levava a câmera, ou no Foto Moderna, melhor estúdio do bairro. Desta vez, minha avó não apenas acolheu o fotógrafo como participou da produção ajudando a escolher os objetos e locações.

primeiro_album_02 Semanas depois, o sujeito retornou e explicou a injustiça: infelizmente, as fotos não foram escolhidas para o Salão. “Mas as fotos ficaram tão lindas…”.  Ele disse que as imagens iriam pro lixo, morreu de pena. Pelo preço de custo, só pra cobrir o filme e a revelação, as fotos seriam nossas. O álbum era de presente.

Dessa vez, minha mãe estava em casa. E o que minha avó tem de inocência, minha mãe tem de desconfiança. Enquanto uma se derretia com as imagens, a outra partia pra cima do fotógrafo. Minha mãe não botou fé na história do Salão, agarrou o álbum e avisou que, dali, essas imagens não sairiam. Enxotou o fotógrafo sem pagar um tostão.

Imaginando minha mãe enfurecida, tenho pena do nosso colega de profissão. Vida dura essa de vender álbuns de porta em porta. E, mesmo a lorota do Salão… Já não se fazem golpes como antigamente.

primeiro_album_03Esse foi nosso primeiro álbum de fotografia que, no final das contas, minha mãe adorou. Mas até hoje ela não perdoa minha avó, que caprichou na produção, mas me deixou aparecer com uma bota ortopédica tão esfolada e com a perna toda riscada de caneta.

Vinte anos depois, eu virei fotógrafo. Fazia outro tipo de trabalho, mas a vida não era lá tão mais fácil. Quantas vezes também eu precisei abusar da retórica pra conseguir me aproximar das coisas, fazer minhas fotos e vender as imagens. Depois, virei teórico, tentando entender como a fotografia participa intensamente das dinâmicas que definem nossos papéis e relações sociais.

————

Este post acabou reunindo muitos ex-colaboradores da Cia Fotográfica Euclydes. Se você trabalhou lá, não deixe de ver a página Ex-Euclydes do Facebook.

Tags: , , ,

jornalista, pesquisador, doutor em Artes pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), professor e coordenador de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação da Fundação Armando Alvares Penteado (Facom-FAAP).

27 Respostas

  1. Amei este texto, quantas vezes digo as pessoas que elas estão construido histórias com suas imagens…
    É maravilhoso, ver a identidade de cada pessoa e com isto você mostrou muito da sua.
    Obrigada por escrever sobre fotografia.

  2. Venho aqui com frequencia, posso dizer que o iconica está entre a leitura obrigatoria (excluindo-se qualquer sombra de desprazer, muito pelo contrário, é sempre leitura prazeirosa)

    Esse texto está muito bom de ler. Reforça a impressão que tenho sobre o carater solene que a fotografia tinha em nossas infâncias.

    Obrigado por textos sempre muito bons.

  3. Ronaldo, não é de hoje que nós fotógrafos vendemos ilusões… Realmente foi uma grande injustiça estas fotos não serem premiadas! Adorei o humor do post! Bj, Lívia

  4. Gostei muito do texto, principalmente porque tenho um álbum assim em casa, aquelas belas fotografias em Preto e Branco feitas nos cantos mais bonitos da casa, onde aparecemos arrumadinhos e sorridentes ou com olhares curiosos…
    Este tipo de imagem faz parte do nosso referencial imagetico… obrigado por me lembrar delas..
    Abraços.

  5. Adorei o texto Ronaldo, entrei no seu blog para pesquisar sobre o trabalho que devemos fazer e me prendi a ele, adorei saber como simples atos do passado refletido e convertidos a nossa realidade podem ser tão prazerosos e decisivos!

  6. Bela história Ronaldo… Se hj sou fotógrafo, muito disso devo aos retratistas anônimos que tentavam vender seu trabalho de porta em porta e suas maravilhosas imagens que rechearam minha infancia e até hj influenciam meu jeito de fotografar.
    Abraços e parabéns pelo blog!

  7. Parabéns pelo seu texto,por comentar sobre a importância da fotografia dentro da história em qq época que seja, mas mais ainda, por retratar tão fielmente a história dessa empresa de fotografia, onde por dois anos fiz centenas, milhares de fotos por muitas cidades brasileiras.

    Parabéns…

  8. sorte de nós que temos albuns de papel panalure e binoclinhos! digo nós pq me vi ai nas foto…a direção de cena era fantástica, alguém abanava a fraldinha pra que nós pequeninos olhássemos para cima, mas eu não conseguia olhar pra cima, colocar a mão no botão de sintonia do rádio e sorrir! confesso que até hj certas tarefas são difícieis…mas,…em suas pernas é um jogo da velha? eu não poupava as paredes…A minha sede por cada dia sempre me questiona se o melhor da vida já passou enqto eu estava sobre o cabrito pintado, todo colorido, eqto aquele homem fazia uma chapa de mim.

  9. Depois de muitos anos, eu sou um dos socios desta empresa que fez as fotos e que sua avo nao pagou, mas, apesar de nao ter recebido, estou feliz por voce ter esta linda recordacao, mesmo sem ter pago. sds

    • ola, eu tbm trabalhei na empresa fotografica Euclides em lins,trabalhei na epoca com o Santos, Clidinho, roberto ascari, olair, odair, Flica, Clidinho, gilberto, Floriano e muitos outros. Obs. comecei com o Euclides eo santos ei batata na cidade de Pirajui, conheci tbm o sr Antonio Aguiar pai do Eudorides ,Euclides e Toninho, na epoca eu tinha uns 13 14 anos….Em 1969 fui trabalhar em lins , no laboratorio bco e preto, e tbm viajava fotografando crianças, meu apelido era Tom Zé., espero encontrar e manter contato por emails com alguns amigos desta epoca………..abçssss

      • Luiz ramão de Souza existe uma sala no Facebook dos Ex Euclydes. A busca é assim mesmo: Ex Euclydes. Lá, temos muitas histórias e fotos. Será um prazer receber mais um Ex.

  10. ADOREI ESTA HISTORIA, VOLTEI AO PASSADO E LEMBREI DOS TEMPOS QUE FALAVA OS MESMOS ASSUNTOS PARA OS PAIS DOS PEQUENINOS PARA PODER FOTOGRAFAR COM O MESMO PAPO DESTA EXPOSIÇÃO. NA ÉPOCA NÃO ERA FOTOGRAFO ERA CONTATO O PRIMEIRO A CHEGAR NA RESIDENCIA PARA FAZER A FICHA DEPOIS IA O FOTOGRAFO E POR FIM O VENDEDOR. HOJE TENHO CONTATO DE APENAS 1 FUNCIONARIO DESTA QUE FOI UMA DAS MAIORES EMPRESA DE FOTOGRAFIA INFANTIL. MORO NO RIO DE JANEIRO RJ
    OBS: DEPOIS TORNEI-ME FOTOGRAFO PROFISSIONAL PELO SENAC CRIEI MINHA FAMILIA COM FOTOGRAFIA AGRADECIDO A CIA FOTOGRAFICA EUCLYDES (LINS/SP)

    • Caro Ronaldo,
      Obrigado por trazer sua história que mencionando a Cia. Euclides cruza com a mnha história e a de outros que trabalharam com alegria nessa empresa que foi pioneira na arte de fotografar crianças. José Mauro, fui fotografo da Euclides no RJ até sua extinção em 1974. Se você trabalhava no Rio como contato, pode ser que eu tenha fotografado umas bolotas(Fichas) arranjadas por você ou dado BL(Banho de Luz) quando era sem condição,rss.
      A Cia. fotográfica Euclides tinha sua Sede em Lins – SP. Depois abriu regionais no Rio, Porto Alegre, Belo Horizonte e em são Paulo, SP. A empresa recrutava através de processo de seleção equipes de 10 a 15 jovens e os levava para Lins. No meu caso, a minha equipe de aprendizes era integrada por 11 Jovens e ficamos em Lins aos cuidados dos instrutores Ademar e Gigiopor 3 meses e 20 dias. nesse periodo fomos preparados para a dificil arte de fotografar crianças. Pegamos noções de angulo, poses, distancia e outras orientações que tornavam os fotografos da Euclides os mais gabaritados para desenvolver com qualidade os albuns que encantavam a todos que os viam. No meu caso, a Euclides foi meu Norte, meu impulso para a vida profissional. A construção da minha vida começou a partir da Euclides. Aprendi não só a fotografar( Era muito bom), mas também a conversar, me relacionar, vender! Em 76 casei em 3 Rios e a 21 anos resido em Vila Velha, ES. A 20 anos meu ramo é moda, sou confeccionista. Ainda fotografo muito, mas como hobby.
      Obrigado Ronaldo por trazer as lembranças, um abraço em você José Mauro! Não podia deixar de mencionar meus amigos de Equipe… Cesar Borracha, André Chulipa, Marques, Jorge, Ferreira, Jô, Simão,Valdir de Bangu, Aurelino o certinho,rss e Guilherme. Depois vieram André Corsino(Supervisor), Tozato, Luizão,Bento, Mongol e para finalizar meu amigo gaucho, o Dutra.
      A melhor coisa sobre uma fotografia, é que ela não muda mesmo quando as pessoas mudam e graças a isso e ao trabalho da Euclides e seus profissionais é que pessoas como você Ronaldo sempre sorriem ao abrirem o Album de fotos. Perpertualizavamos imagem para vender recordação. Foi ótimo!
      Augusto Chagas

  11. Eu também fui fotografado pela CIA Euclydes, só que na Cidade de Brasília – DF, e por coincidência em uma “radiola” parecida com a sua.

  12. boa noite sou vendedor de album infantil foi merecido o que foi feito com o fotografo por nao ter uma autorizaçao dos pais .hoje se eles nao autorizar nao sao tiradas as fotos a pouco tempo atraz uma cliente sem vergonha pegou o book e nao devolveu chamei a policia e ela passou a maior vergonha da sua vida pensou que ia ficar assim maz esqueceu que assinou a autrizaçao dançou feio.

  13. Eu fui fotografo da cya Euclydes nos anos entre 1972 a 1975 inclusive passei 3 meses em Lins me formando nesta que para mim foi a melhor Empresa que trabalhei em toda a minha vida gostarria muito de me relacionar com compaheiros desta epoca;gauchos que se formaram comigo em Lins;como paulistas que eram 5 nesta minha turma e gauchos que eram 3 e nós cariocas que ramos também 3 epoca muito boa de minha vida ap´s a Empresa encerra as suas atividades nos abrimos uma empresa no rio de janeiro com o aprendizado deixado por esta GRANDE EMPRESA DE FOTOGRAFIA DE CRIANÇAS;um grande abraço deste Amigo;espero respostas.

  14. Valter você fez treinamento antes da minha equipe? A minha era 11 jovens do Rio e em SP encontramos com 10 gauchos e as 2 equipes seguiram para treinamento em Lins. Isso em 72 também!
    O pessoal sempre tinha apelido, o meu era Gugu. Abraço amigão!

    • AUGUSTO CHAGAS (GUGU) REALMENTE VOCÊ FOTOGRAFOU ALGUMAS BOLOTAS MINHAS OUTRAS FICHAS VOCÊ COMO NÓS FALÁVAMOS DERRUBOU. AS PESSOAS QUE VOCÊ SITOU ALGUMAS ME RECORDO OUTRAS NÃO, O VALTER NOVAES MENDES ´E UM GRANDE PARCEIRO ESTAMOS SEMPRE EM CONTATO, O ANDRÉ CORSINO QUE FOI CONTATO DEPOIS SUPERVISOR MORAVA NO BAIRRO QUE EU MORO, ESTE FOI QUEM ME LEVOU PARA EUCLYDES ERAMOS AMIGOS DE INFÂNCIA EM CASCADURA. INFELIZMENTE HOJE NÃO ESTA ENTRE NÓS, FELECEU AOS UNS 4 ANOS ATRÁS. MANDA EMAIL PARA MIM COM UM CONTATO TELEFONICO DE PREFERENCIA UM FIXO QUE LIGAREI PARA VOCÊ. MEU EMAIL É gabimpressos@gmail.com. Um forte abraço

  15. gostaria muito de rever meus amigos um dia quem sabe desta grande Empresa que tive o prazer de trabalhar;desta cidade LINS/SP;Onde fiquei por 3 meses e meio no treinamento de fotográfo;cidade esta muito acolhedora e hospitaleira;hoje sou funcionário público e nao esqueço dos meus amigos gauchos e paulistas do ano ded 1972;ano este que me formei como fotográfo nos laboratóris da cia.euclides;hoje só revejo mauro;outros como julio;ferreira;simão;aurelino;meu zapzap e 021988013486

    • Valter Novaes Mendes, existe Mauro já deve ter te falado da sala no Facebook dos Ex Euclydes.Tá esperando o que meu irmão? Entra lá, A busca é assim mesmo: Ex Euclydes. Lá, temos muitas histórias e fotos. Será um prazer receber mais um Ex.

  16. FALA rapaziada da euclides; E O FOTOGRAFO MENDES DA TURMA DE 1972;KD VOCES MEU TEL.988013486 LIGUE PARA MIM;GRANDE TURMA;FELIZ NATAL PARA TODOS UM DIA EU VOLTO A LINS.

  17. Bom dia meu nome e Elaine de Andrade dos Santos, sou filha de Luzia de Andrade dos Santos, nasci na cidade de Lins e procuro pelas minhas origens. A única referência que tenho de meu pai e que ele trabalhava no foto Euclydes em Lins na década de 60, pois nasci no dia 18 de agosto de 1969. Ele era branco de olhos e cabelos claros. Se envolveu com minha mãe uma mulher negra, bonita e recentemente separada tinha 6 filhos na época hoje falecida. Esse segredo me foi revelado a pouco tempo. As pessoas que o conheciam hj ja estão falecidas e meus irmãos eram pequenos e tem poucas lembrancas. Se puder me ajudar a encontrar essa parte da minha família agradeço. E so tenho duas referências de nome José e Euclides. Quem puder me ajudar agradeço.

  18. elaine no final de 68 e inicio de 69 eu trabalhei nesta empresa e conheci todos funcionarios de lins , passe mais informações sobre seu pai como nome e se souber sobrenome, se ele era de lins mesmo etc , porque euclides tbm era o nome da empresa..

  19. Sou carioca, mas resido hoje em São Paulo. Tenho até hoje, em bom estado, o álbum de Fotografia, com fotos minhas e do menti irmão, feito pela Companhia Fotográfica Euclydes. Desde pequeno admirava o álbum, que para mim sempre foi o melhor de todos que a família tinha. E, quando consultei um mapa pela primeira vez, me espantei: nossa, esse fotógrafo veio de longe fotografar a gente! 😃.

    Cheguei nessa página aqui hoje buscando por mais informações da empresa. Tenho hoje 46 anos, e meu álbum tem data de dezembro de 1972.

    Hoje estou um pouco saudosista e emocionando…

  20. Que nostalgia eu sentí, ao me deparar com esta página… Eu e meu irmão, com 9 e 3 anos respectivamente, fomos fotografados por um senhor , no Bairro de Marechal Hermes, no ano de 1972, confeccionado pela Cia Fotográfica Euclydes… Esse álbum, ficou guardado duarante anos na casa da minha Mãe, que fazia questão de mostra-lo, aos visitantes , amigos e parentes, em todas as datas festivas, visitas , aniversários e qualquer comemorativa em nossa casa. Esse álbum, ainda existe e foi mostrado a muitos parentes e amigos. Minha Mãe mostrava toda orgulhosa, toda a “beleza” de seus filhos quando pequenos, nos melhores cantos da nossa casa em Marechal Hermes, Rio de Janeiro, em belíssimas páginas em preto e branco… Material de muito boa qualidade, que se conservou até hoje em nossa família… Parabéns a Cia Fotográfica Euclydes, por fazer parte da história de tantas famílias…

  21. Valter Novaes Mendes, Mauro já deve ter te falado da sala no Facebook dos Ex Euclydes.Tá esperando o que meu irmão? Entra lá, A busca é assim mesmo: Ex Euclydes. Lá, temos muitas histórias e fotos. Será um prazer receber mais um Ex.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reload Image

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.